Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

26/05/2011
Pressão religiosa faz governo suspender kit anti-homofobia do MEC

A Frente Parlamentar em Defesa da Família ganhou a queda de braço com o governo sobre o kit Escola sem Homofobia, também chamado de kit anti-homofobia. A informação foi dada pelo deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) no meio da manhã de quarta-feira (25).

A suspensão do kit foi confirmada pelo ministro da Secretaria-Gerla da República, Gilberto Carvalho no começo da tarde. Segundo Carvalho, o governo "achou que seria prudente não editar esse material que estava sendo preparado no MEC - e a presidente decidiu a supensão desse material, assim como o vídeo que estava sendo preparado por uma ONG".

Ele afirmou também que, a partir de agora, todo material sobre costumes "será feito a partir de uma consulta mais ampla à sociedade". Ao conseguir a suspensão do kit anti-homofobia, as bancadas evangélica e católica deixaram de pedir a convocação de Palocci e recuaram na abertura de uma CPI da educação. Para Gilberto Carvalho, se as bancadas decidiram não fazer os pedidos, a mudança de atitude não tem relação com o recuo do governo sobre a questão do kit gay.

O kit é composto de três tipos de materiais: o caderno do educador, seis boletins para os estudantes e cinco vídeos, dos quais três já estão em circulação na internet. Os boletins deveriam trazer orientações sobre como lidar com colegas LGBT abordando assuntos relacionados a sexualidade, diversidade sexual e homofobia. O material seria destinado a alunos do ensino médio, ou seja, com idade mínima de 14 anos.

Para o professor português António Nóvoa, o melhor local para discussão do tema não é a sala de aula. "Trata-se de um diálogo educativo que vai muito além desta", afirma. "Mas, como a comunidade não tem condições ainda de arcar com essa responsabilidade, a solução é deixar a escola assumir parte do trabalho".

Reação
Após a notícia da suspensão do kit, o deputado federal Jean Wyllys (PSol - RJ) divulgou nota em tom duro, na qual se dirige à presidente Dilma Rousseff, criticando a decisão do governo. "Onde está a \'defesa intransigente dos Direitos Humanos\' que a senhora prometeu quando levou sua mensagem ao Congresso?", questionou.

Segundo o parlamentar, que é assumidamente homossexual, "apesar das inúmeras informações corretas sobre o kit anti-homofobia divulgadas inclusive por mim, há quem insista em mentiras e equívocos", disse.

No texto, Wyllys fez referência ao assassinato de mais de 200 homossexuais por ano e cobra do governo mais sensibilidade diante de um dado como este. Ele destaca que a presidente "sentiu na pele", durante a campanha, o que é ser "difamada e insultada por discursos de ódio, alimentados por interesses espúrios".

"Tenho esperança de que a presidenta volte atrás, afinal, votei nela porque acreditava que só uma mulher poderia estender a cidadania aos LGBTs e às mulheres em geral", declarou o parlamentar. (Fonte: Portal Vermelho, com agências)







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 952961 Total de Visitas