Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

19/05/2011
Trabalhadores rurais pedem mudanças no projeto de Código Florestal



Cerca de 5 mil trabalhadores rurais fizeram uma manifestação, nesta quarta-feira (18), em frente ao Congresso Nacional. O ato marcou o segundo dia de mobilização do 17º Grito da Terra Brasil, organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).
Os manifestantes pedem mudanças no Código Florestal. A Contag reivindica tratamento diferenciado entre o pequeno agricultor e o grande produtor. "É inadimissível tratar igual quem tem 2 mil hectares de terra e quem tem dez hectares", defendeu a vice-presidente da Contag, Alessandra Lana.
Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rondônia, Lázaro Aparecido, alguns pontos do Código Florestal inviabilizam a agricultura familiar. "Na Amazônia Legal devem ser preservados 80% da área. Para quem tem 20 hectares só sobram quatro [para plantar]. Assim não há condições de trabalhar", disse Aparecido.
A manifestação dos trabalhadores rurais se dirigiu para a frente do Ministério do Desenvolvimento Agrário. Em seguida, representantes da Contag também foram ao Palácio do Planalto para uma reunião com a presidente Dilma Rousseff.
Na terça-feira (17), no início do Grito da Terra, a entidade reivindicou melhorias para o trabalhador do campo e das florestas. Segundo o presidente da Contag, Alberto Broch, a manifestação foi importante para que o trabalhador do campo tenha inserção social.
"Em um país com as dimensões do Brasil, não podemos aceitar que, de cada quatro trabalhadores rurais, um viva na miséria extrema. A reforma agrária é necessária - e é necessária imediatamente."
Entre as principais reivindicações dos manifestantes está o assentamento emergencial de 150 mil famílias acampadas, a criação de uma política nacional de fortalecimento da organização produtiva da juventude no campo, a luta por terra e produção de alimento sem criminalizar o produtor e a garantia de políticas especificas para as mulheres trabalhadoras.
Durante a marcha, os manifestantes divulgaram dados que mostram que apenas 1% da população rural tem acesso a rede sanitária, e 8,7 milhões de pessoas vivem sem água no campo.
Segundo Alberto Broch, acordos com 16 ministérios estão em andamento e pelo menos 40 reuniões foram feitas para tratar da reforma agrária no país. O governo anunciou que vai lançar, ainda neste mês, o programa Água Para Todos, enquanto o líder petista no Senado, Humberto Costa (PE), disse que o compromisso do governo é defender as grandes bandeiras que lutam pela reforma agrária. (Fonte: Agência Brasil)







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 951170 Total de Visitas