Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

20/04/2011
Carteira assinada: emprego sobe menos e indica desaceleração

O mercado de trabalho começou a dar sinais de que a economia está num menor ritmo de expansão. Em março foram criados 92,6 mil postos de trabalho com carteira assinada, representando uma queda de 71% frente aos 315 mil novos empregos criados em fevereiro. Esse foi o resultado líquido do mês passado, quando houve um contingente recorde de demissões, de 1,673 milhão de trabalhadores, e as admissões somaram 1,765 milhão.
No trimestre, o total de admissões de 584 mil foi bem inferior às 708 mil vagas abertas em igual período de 2010, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados terça-feira (19).
A redução de 71% na oferta de empregos no mês passado é explicada, em parte, pelo elevado nível das contratações de fevereiro. Com o deslocamento do Carnaval para março, houve antecipação das admissões no mês anterior. Um segundo fator foi a ocorrência de menos dias úteis no terceiro mês do ano frente ao segundo mês.
O Caged mostrou, também, que a queda na oferta de emprego decorreu de demissões concentradas no setor sucroalcooleiro, na agropecuária, no comércio e na construção civil. Também contribuição para essa performance a menor oferta de oportunidades nos órgãos públicos, na indústria da transformação e no setor de serviços. Somente o segmento hoteleiro e de restaurantes fechou 8,5 mil vagas em março, movimento também sazonal.
No mês passado, o setor de serviços liderou as contratações líquidas (60,3 mil vagas). Em seguida aparece a indústria de transformação (14,4 mil empregos), enquanto a agricultura gerou 11,4 mil postos.
Outro indicador que sinaliza arrefecimento no ritmo de expansão do mercado formal de trabalho é a expectativa para abril. Na avaliação do Ministério do Trabalho, as contratações deste mês serão maiores que as de março, mas não deverão atingir o saldo de 349 mil vagas abertas em abril de 2010.
Ainda assim, o ministro Carlos Lupi mantém a projeção de admissões líquidas de 3 milhões para este ano. Para ele, os próximos meses serão caracterizados pela maior oferta de oportunidades em todos os segmentos, com destaque para a construção civil. Lupi disse que as construtoras vão retomar obras após o período das chuvas e iniciarão empreendimentos vinculados à Copa e às Olimpíadas, demandando mão de obra.
Ele considera, também, que o consumo se manterá em alta, apesar das medidas do governo para frear a demanda. Ao apontar fatores que deverão fomentar a demanda, Lupi citou o aumento da renda das famílias.
Ontem, juntamente com o Caged de março, o Ministério do Trabalho divulgou o resultado do primeiro trimestre da variação dos salários médios de admissão. O relatório aponta alta real deflacionada pelo INPC de 2,92% nos salários médios pagos entre janeiro e fevereiro deste ano ante igual período de 2010. Nessa base de comparação, os valores médios pagos passaram de R$ 868,95 para R$ 894,32.

Os maiores acréscimos ocorreram em Pernambuco, Amapá, Paraná, Santa Catarina, Pará, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Considerando o grau de instrução, a maior valorização no período, de 4,91%, ocorreu nos salários pagos aos trabalhadores com curso superior completo. A menor variação, de 0,74%, foi verificada nos valores pagos a trabalhadores







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 1241759 Total de Visitas