Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

11/11/2009
Trabalhadores marcham para cobrar votações na Câmara e no Senado

Mais de 40 mil trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade participaram da 6ª Marcha da Classe Trabalhadora em Brasília, que teve como principal bandeira a defesa da redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial.

Esta foi a maior marcha realizada pelas centrais sindicais que mobilizaram suas bases para levar milhares de trabalhadores e trabalhadoras em Brasília para defender a votação na Câmara dos Deputados da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 231/95, dos senadores Inácio Arruda (PCdoB-CE) e Paulo Paim (PT-RS), que reduz a jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais.

A marcha teve início com a concentração das caravanas de trabalhadores de todos os Estados no estádio Mané Garrincha, e a caminhada seguiu pela Esplanada dos Ministérios até a Praça dos Três Poderes, onde ocorreu o ato político.
 
Wagner Gomes, presidente da CTB, saudou a unidade do movimento sindical para organizar esta tradicional mobilização que já é marco da luta em defesa dos interesses dos trabalhadores. Wagner fez um breve histórico da luta dos trabalhadores em defesa da redução da jornada de trabalho e afirmou que classe patronal sempre será contra a redução da jornada, mas os trabalhadores não podem abrir mão dessa reivindicação que, além de melhorar a qualidade de vida, permitindo que o trabalhador tenha mais tempo para a família, lazer e relacionamento social, vai gerar mais de 2 milhões de novas vagas no mercado de trabalho. "Em 1988, quando lutávamos para reduzir a jornada de trabalho de 48 para 40 horas semanais, os empresários diziam que o Brasil não suportaria e as empresas iriam quebrar. A jornada foi reduzida para 44 horas e o Brasil não quebrou", disse o presidente da CTB. 
 
Nova Conclat
Wagner Gomes disse que a unidade de ação das centrais é fundamental para fortalecer as mobilizações. "Esta unidade das centrais sindicais tem avançado e a CTB reforça a necessidade de realizarmos uma nova Conclat (Conferência da Classe Trabalhadora), que será o grande encontro das centrais sindicais para debaterem um projeto de desenvolvimento com valorização do trabalho e distribuição de renda. Precisamos aprovar uma pauta unitária de lutas que consolide a unidade das centrais", concluiu Wagner Gomes.

 
Em entrevista para o Portal CTB, o senador Inácio Arruda (PCdoB) defendeu a redução da jornada de trabalho. “A redução da jornada permitirá que os trabalhadores brasileiros se apropriem do ganho da produtividade que o país alcançou com a introdução das novas tecnologias no setor produtivo. Com a automação, mecanização e informática aumentou a produção e diminuiu os postos de trabalho. Só a redução da jornada de trabalho vai permitir com que mais pessoas trabalhem", afirmou.

O deputado federal Vicentinho (PT) também defendeu a redução da jornada de trabalho. "Os patrões estão tendo um lucro exorbitante com o aumento da produtividade. Chegou a hora deles distribuírem um pouco dessa riqueza, reduzindo a jornada de trabalho, que além de gerar mais de 2 mil empregos, segundo o Dieese, vai reduzir o número de acidentes de trabalho",

 
Contag
Alberto Broch, presidente da Contag (Confederação nacional dos Trabalhadores na Agricultura) destacou a importância da marcha para os trabalhadores do campo. "Na verdade eu gostaria de destacar importância dessa marcha para unidade da classe e principalmente a forma como foi organizada. A representatividade de todas as entidades, a Contag com forte participação dos trabalhadores rurais,  que teve com bandeira central a redução da jornada, mas não deixou de lado a luta pela alteração dos índices de produtividade, pela reforma agrária e contra a criminalização dos movimentos sociais", reforçou o presidente da confederação.

Na Câmara e no Senado
Após o pronunciamento de todos os presidentes das centrais sindicais o ato político foi encerrado e os presidentes das centrais foram se reunir com o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer.

"Quero parabenizar as centrais por terem realizado esta grande marcha para pressionar o legislativo a votar a pauta de interesse dos trabalhadores. A redução da jornada de trabalho está em discussão há mais de 14 anos e ainda é um tema polêmico. Vamos criar um grupo de trabalho com a participação dos patrões e dos trabalhadores para debater o tema", disse o deputado.
 
O  presidente do Senado, José Sarney, recebeu a pauta de reivindicações e reafirmou o seu apoio para agilizar a votação da redução da jornada no Senado.

Além da redução da jornada de trabalho, a pauta de reivindicações das centrais sindicais e dos movimentos sociais defende a aprovação do PL 01/07 que efetivar a valorização do salário mínimo; o novo marco regulatório para o pré-sal; atualização dos índices de produtividade da terra; aprovação da PEC 438/01 contra o trabalho escravo; ratificação das Convenções 151 e 158 da OIT; aprovação do PL que regulamenta a terceirização e combate a precarização nas relações de trabalho.
 
Fonte: Portal CTB







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 898541 Total de Visitas