Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

05/11/2009
O “mensalão“ tucano de Azeredo e as máscaras da direita

A palavra mensalão entrou para o vocabulário político em 2005 pela voz da oposição de direita que promoveu acusações contra o governo tentando deslegitimar o mandato do presidente Lula, forçá-lo a renunciar à reeleição em 2006 e, quando ficou claro que ele se candidataria a um novo mandato, fazer o presidente "sangrar" até a eleição, tentando impor a vitória de um candidato do esquema PSDB/DEM. Não deu certo.

Naquela ocasião já haviam aparecido acusações mais consistentes de desvio de dinheiro público justamente contra o tucanato, para financiar, em 1998 - portanto em pleno domínio neoliberal, com Fernando Henrique Cardoso no comando do governo federal - a reeleição do então governador mineiro e ex-presidente nacional do PSDB Eduardo Azeredo, que hoje é senador.

O registro pela imprensa daqueles indícios ficou longe do enorme escândalo feito em torno de acusações muito menos consistentes a membros da base aliada do governo. Afinal, a mídia tem lado e partido - aliás, funciona como um -, sendo a ala mais estridente da emplumada fauna da direita brasileira.

O voto dado ontem (dia 4) pelo ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), pela abertura de uma ação penal contra Azeredo e seus cúmplices pela articulação naquele esquema ilegal recoloca em pauta uma questão jurídica e penal, e principalmente política.

O ministro Barbosa viu no processo indícios "robustos" de crime de peculato (desvio de recursos públicos) e também de lavagem de dinheiro, outra acusação que, tudo indica, será acatada por ele no relatório que vai propor ao plenário do STF a abertura do processo criminal contra o senador e os envolvidos naquela quadrilha, a maioria dos quais eram altos funcionários de empresas do governo mineiro durante o mandato de Azeredo. A investigação feita pelo Ministério Público Federal apurou que foram desviados - através do chamado valerioduto mineiro, apelido derivado do nome de seu operador, o empresário Marcos Valério - pelo menos 3,5 milhões de reais para garantir a reeleição de Azeredo.

Segundo Joaquim Barbosa foram crimes planejados e coordenados por Azeredo, que figura no processo como uma espécie de poderoso chefão de uma gang organizada para assaltar os cofres públicos. Ele "tinha conhecimento do desvio", disse o ministro.

A questão jurídica e penal envolvida será decidida pelo STF. Já a questão política... onde está o escândalo dos campeões da honestidade da mídia? O jornal O Estado de S. Paulo praticamente escondeu a notícia, publicando-a na página 9 de seu primeiro caderno. A Folha de S. Paulo deu uma chamada subalterna e amena na capa ("Relator do STF aponta crime de Azeredo em valerioduto") e trouxe uma reportagem com apenas 630 palavras, pequena para os padrões do escândalo midiático. O Globo deu, na capa, uma manchete sobre economia e, em sua página eletrônica preferiu atacar o deputado José Genoino (PT-SP), com a manchete "Réu do mensalão, Genoino defende \\\\\\\\\\\\\\\'ficha-suja\\\\\\\\\\\\\\\'", só se referindo à decisão do ministro Joaquim Barbosa numa matéria secundária com um título "frio": "Para relator do mensalão no STF, Eduardo Azeredo cometeu peculato".

O chamado "mensalão" trouxe prejuízos para o governo mas não rendeu os dividendos políticos que a direita esperava. As denúncias foram apuradas e tiveram conseqüências judiciais, mas a lenda de pagamentos mensais para comprar apoios ao governo jamais foi comprovada. Já o desvio de montanhas de dinheiro público para financiar campanhas eleitorais tucanas está sendo comprovado e demonstrado na mais suprema corte de justiça do país. As máscaras da direita caem e o julgamento político de sua conduta é o que vai sair das urnas em 2010. Com Portal Vermelho

 







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 898538 Total de Visitas