Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

13/07/2012
Sem PIB, Brasil vai mal na comparação de indicadores sociais

Diante das evidências de que o crescimento econômico brasileiro neste ano não deve ficar muito acima de 2%, a presidente Dilma Rousseff procurou ontem minimizar a importância do PIB (Produto Interno Bruto), ressaltando que ele não é o indicador mais adequado para comparações internacionais.

"Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz para suas crianças e para seus adolescentes. Não é o Produto Interno Bruto. É a capacidade do país, do governo e da sociedade de proteger o que é o seu presente e o seu futuro, que são suas crianças e seus adolescentes", afirmou, na 9ª Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente.

No mês passado, o tom era outro. Numa cerimônia com atletas que vão participar dos Jogos Olímpicos de Londres, Dilma chegou a dizer que o PIB deste ano vai merecer uma medalha: "Você vai ver se não vai merecer [medalha]. Nós estamos no esquentamento", disse.

O discurso de Dilma desdenhando o PIB veio em um momento em que economistas de dentro e de fora do governo têm revisado para baixo suas projeções de alta do indicador em 2012.

Em junho, o Banco Central reduziu de 3,5% para 2,5% sua estimativa. Nos bastidores, o próprio governo já trabalha com um crescimento de apenas 2% neste ano.

Divulgado ontem, o indicador de atividade econômica do Banco Central, considerado uma prévia do PIB, apontou uma queda de 0,02% em maio em relação a abril.

Apesar de o recuo ter sido menor que o esperado pelo mercado, ele sinaliza que a recuperação da atividade ainda não havia ganhado ritmo. Na comparação com maio de 2011, o indicador teve alta de 1,09%.

RANKING
As comparações do Brasil com outros países em assuntos que afetam diretamente crianças e adolescentes não mostram o país em posições mais vantajosas.
Segundo os dados do Banco Mundial, cerca de 21% dos brasileiros não têm acesso a saneamento básico adequado. O índice é pior que os de países como Costa Rica (5%), Equador (8%) e El Salvador (13%), por exemplo.

Um brasileiro que nasce hoje tem uma expectativa de vida de 73 anos. Um bebê cubano ou chileno viverá seis anos a mais, também de acordo com o Banco Mundial.
Indicadores na área da educação também apontam para um quadro desfavorável para o Brasil na comparação internacional.

A avaliação Pisa, divulgada em 2010, classificou o Brasil em 53º lugar em desempenho em leitura. No ranking de 65 países, o Brasil ficou atrás de Colômbia, Trinidad e Tobago e México.

No Congresso, o governo já afirmou que irá brecar o esforço para tentar dobrar os gastos públicos com educação em dez anos. Prevista em projeto do Plano Nacional de Educação já aprovado em comissão especial da Câmara, a meta de elevar os investimentos no setor para 10% do PIB será vetada por Dilma, caso seja aprovada pelo Congresso. O argumento é que a medida representaria um rombo nas contas públicas.

DESIGUALDADE
No discurso de ontem, Dilma ainda destacou a importância da distribuição de renda: "O Brasil, durante muito tempo, conviveu com uma situação lamentável e terrível. Ser um país com tantas riquezas, formado por um povo tão solidário, mas que uma parte imensa da sua população estava afastada dos direitos e, sobretudo, dos benefícios dessas riquezas e de tudo que esse país pode produzir."  FolhaSP







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 951212 Total de Visitas