Newsletters

Email:

Categoria:

Assinar Remover

Notícias
PDF
Imprimir
E-mail

03/05/2012
Centrais sindicais aprovam nova regra do governo para a poupança

A mudança na remuneração das cadernetas de poupança só acontecerá com as que forem abertas a partir desta sexta-feira (4). A decisão foi bem recebida pelas centrais sindicais - CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central e CGTB - já que dá garantias aos poupadores atuais, não alterando o cálculo dessas aplicações.

As novas regras, estabelecidas a partir de medida provisória, foram detalhadas em uma reunião entre os dirigentes das seis centrais brasileiras, a presidente Dilma Rousseff e o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

A partir de agora, o governo vai atrelar a remuneração da poupança à taxa básica de juros, a Selic, substituindo o critério atual de remuneração da poupança, que é de 6,17% ao ano mais variação da Taxa Referencial (TR). Agora, o rendimento será a partir da variação da TR mais 70% da Taxa Selic, quando a taxa básica de juros chegar a 8,5%, ao ano ou menos. Atualmente, a Selic está fixada em 9% ao ano.

"Baixar juros, mexer com câmbio e buscar uma carga tributária mais equilibrada, são medidas positivas. Nossa maior preocupação era assegurar a manutenção das regras do jogo para as atuais poupanças, o que já foi assegurado. Isso torna o ambiente mais favorável para o debate (sobre mudanças futuras)", declarou ao Vermelho Nivaldo Santana, vice-presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Nivaldo, que também é secretário Nacional Sindical do PCdoB, destacou os desafios atuais do Governo Dilma na área econômica: "A medida [atrelar a poupança à Selic] faz parte de uma estratégia mais ampla do governo para enfrentar três grandes questões: juros altos, câmbio valorizado e carga tributária excessiva. Para começar a enfrentar isso, em ambiente mais favorável, essa é uma das medidas necessárias para que a poupança não sirva como um anteparo, que impeça a redução maior de juros".

Ou seja, na prática a medida vai permitir que o governo continue a baixar os juros sem que os grandes investidores se sintam estimulados a migrar para a poupança e deixem de comprar títulos públicos.

A Força Sindical faz coro com a CTB. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em sua página na internet, reconheceu que "o fato do governo não mexer nas poupanças atuais é positivo, afinal, todos os direitos serão preservados". Mas, disse que a direção da central ainda analisará o impacto das medidas em outros fundos.

Uma nova reunião foi marcada para terça-feira (8), às 11h, com os ministros Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República; e Brizola Neto, do Trabalho e Emprego, e as centrais sindicais para discutir a pauta dos trabalhadores que inclui a isenção do Imposto de Renda na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), fim do fator previdenciário.

"A mudança é importante para manter os grandes investidores onde estão, impedindo uma fuga de capitais para a poupança, que passaria a render mais que os fundos públicos. O governo já sinalizou que continuará baixando os juros e o spreed bancário [diferença entre os juros que os bancos pagam para tomar capital e a taxa que cobra dos correntistas]. Dessa forma, os grandes investidores devem ficar onde estão", ponderou o presidente da CTB, Wagner Gomes, que esteve presente na posse do novo ministro do Trabalho Brizola Neto.

Para o dirigente sindical, a indicação do novo ministro é outro sinal positivo do Governo Dilma em relação ao trabalhador. "Seu discurso de posse nos causou boa impressão, ao defender o ministério como um órgão do trabalhador, desde quando surgiu, na década de 1940 . Trata-se de um dos principais ministérios que estava precisando de alguém com o perfil do Brizola Neto", comentou Wagner Gomes.

Sinalização
O governo federal declarou guerra ao sistema financeiro no pronunciamento da presidente Dilma no 1º de Maio, em rede nacional, quando falou abertamente sobre a necessidade de os bancos reverem a sua atual política perversa. (Fonte: Portal Vermelho)







Mais Informações

2ª via da carteirinha

Solicitação de 2ª via da carteirinha de sindicalizado. É necessário levar 1 foto 3x4 recente na sede do Sindicato.

Formulário de Solicitação clique aqui!

Horário de Atendimento

Segunda a sexta-feira, das 9h às12h e das 14h às 18h.

Informações via email clique aqui!

Atualização de Dados

Para que você possa estar sempre informado e receber nossas notícias é necessário atualizar online os seus dados cadastrais sempre que houver alguma mudança.

Clique aqui para atualizar seus Dados!

Número de Visitantes

Prezado visitantes agradecemos seu acesso em nossa página! Seja bem-vindo(a) sempre que necessário.



Usuários online 1042616 Total de Visitas